ANA MAÍRA FAVACHO

DANÇA * ONDA#17

No ATRAVES\\, Ana Maíra Favacho fez parte de uma performance de dança nas águas, durante a ONDA#17 – LÍQUIDO.

Foram três dias de colaboração com os bailarinos Khadim Ndiaye e Camille Bonnenfant que culminaram em uma apresentação final do trio.



Carta deixada por PARSYIAM para o ATRAVES\\

Nós.
Nos lançamos no (a)mar.
Éramos três distintas formas líquidas compondo aquele espaço, coberto de água. Doce, salgado, macio, bravo, restaurador, devastador… A água que tudo pode. Diante dessa imensidão, face ao infinito de possibilidades nos encontrávamos, nos perdíamos, nos confundíamos e nos misturávamos.
Deixamos os sapatos na sala de estar e adentramos a escuridão, de pés descalços: Um gole d’água, um respingo, arrepio, suspiros… Mais um gole, mais um passo e de súbito, mergulho. Com as células encharcadas d’água, veio o frio imediato.
Entramos, como quem entra em mar calmo na maré baixa, com passos lentos… Antes de molharmos os corpos, silêncio para escutar  o sussurro do vento. Olhos fechados pra sentir a onda que se aproximava. E uma alegria mansa se instala no âmago quando a água invade os poros.
O que parecia no início apenas superfície, aos poucos foi tomando o nosso imaginário e os corpo foram se desenhando no espaço. As vísceras embora inundadas permaneciam mornas, o pulso nos impulsiona.
No hábito do processo, primeiro excesso, depois medidas. Meio à delírios, foi surgindo os traços. Corpos se esvoaçando, água pra todo lado. E comprovamos que para que haja encontro é preciso se dissolver um pouco. De três se fez uma amálgama.
Fomos submergidos por essa onda, passamos três dias imersos. Tanto que ainda podemos sentir nossos corpos úmidos.
Consagramos o tempo, os elementos da natureza, as divindades e nos despedimos com alegria e a sensação de alma lavada.
Inteiramente gratos.

Ana Maíra Favacho é brasileira, artista circense, trapezista, dançarina e pesquisadora. Influenciada pelo espírito brincante das manifestações populares, seus movimentos pulsam ao ritmo de seu coração, natural e espontâneo.

ONDA

[wpdreams_ajaxsearchlite]

CONVIDADOS