das fôrmas às formas

Uma dos prazeres da vida é a descoberta e percepção de padrões de ordem e beleza na natureza – como os desenhos revelados ao cortarmos uma cabeça de repolho ou uma laranja, as formas de conchas e asas de borboleta. Estas imagens são impressionantes não apenas por sua beleza individual, mas porque sugerem uma ordem subjacente ao seu crescimento, remetendo a harmonia existente na natureza. O que significa que uma tal ordem existe e até onde ela se estende?

O livro The Power of Limits – Proportional Harmonies in Nature, Art, and Architecture (“O poder dos limites – Proporções harmônicas na natureza, arte e arquitetura”, sem tradução editorial para o Brasil), de Gyorgy Doczi, foi inspirado por essas percepções harmônicas. O autor então passou a investigar e medir centenas de padrões – antigos e modernos, micro e macro – e descobriu que certas proporções ocorrem repetidas vezes, de todas essas formas. Padrões também são repetidos na forma como as coisas crescem e são feitas – pela união dinâmica de opostos – como demonstrado pelas espirais que se movem em sentidos opostos no crescimento de uma planta.

A união entre unidade e diversidade no campo de limitações proporcionais cria formas que são esteticamente agradáveis para nós, porque elas incorporam os princípios da ordem cósmica da qual fazemos parte; inversamente, a falta de limites dessa ordem é revelada pelo rigor de suas formas.

O autor mostra como nós, enquanto seres humanos, somos incluídos na harmonia universal da forma, e sugere que a união de opostos complementares também pode ser uma maneira de estender a harmonia para as esferas psicológicas e sociais da vida.

eu quero mais

as videodanças de analivia cordeiro
a dança como cinema. leia mais
a fotografia mística de maïmouna guerresi
narrativas visuais que revelam a fagulha imaterial que nos une. leia mais
a sonda ao redor
dessa vez nós realmente fomos longe demais. leia mais
a fibra esquecida
instalação de yusuke seki resgata a tradição têxtil de cânhamo no japão. leia mais
como criar para si um corpo sem órgãos?
deleuze e guattari retomam o conceito de artaud numa tentativa de inscrever o corpo sob o signo da liberdade. leia mais
5 artistas que foram até o limite pela arte
dos anos 70 até hoje, algumas das manifestações artísticas mais surpreendentes. leia mais
Download Premium WordPress Themes Free
Download Best WordPress Themes Free Download
Free Download WordPress Themes
Download Nulled WordPress Themes
free download udemy paid course
download huawei firmware
Free Download WordPress Themes
online free course