sonho, ritual em tempo transfigurado

Considerada uma das mais importantes cineastas de vanguarda norte-americana entre os anos 40 e 50, Maya Deren une em sua obra dança, cultura haitiana, psicologia e experimentação com a linguagem cinematográfica – realizando seu desejo de libertar o corpo humano dos limites do espaço teatral.

Nascida na Ucrânia em 1917, Maya Deren (nascida Elenora Derenkowsky) é possivelmente a primeira diretora de cinema da América a desafiar seus contemporâneos do universo sedimentado que é o cinema americano. Incansável, Deren escrevia, dirigia, filmava e distribuía todos os seus projetos.

Seu primeiro filme, Meshes of the Afternoon (1943), foi filmado com uma câmera de segunda mão que ela comprou com o dinheiro de uma herança. Nele, a diretora já quebra vários paradigmas do processo tradicional de montagem contínua de um filme, além de fazer uso de múltipla exposição e experimentar de todas as formas os ângulos e o som.

Poucos anos depois, em 1945, Deren junta-se a dançarina Rita Christiani e a escritora Anaïs Nin para realizar o filme Ritual in Transfigured Time, onde ela começa a trabalhar a relação entre os movimentos coreografados do corpo e os movimentos de câmera. A partir de então, ela se aprofunda ainda mais na expressão corporal, tornando-se a primeira realizadora de videodança, juntando para tanto toda a sua técnica para fazer filmes que mais parecem alucinações, além de seu interesse por religiões de matriz africana, como o vodu haitiano – seus últimos debruçaram-se sobre o estudo da cultura do Haiti. Maya Deren viveu no país por quase dois anos, filmando rituais, danças e costumes. Seu último filme, The Very Eye of Night, foi lançado em Porto Príncipe.

Ritual In Transfigured Time, Maya Deren (USA / 1946 / 16mm / 14min)

Dentro de uma casa, as ações se tornam uma coreografia flutuante. Uma mulher, um jogo com cordas, uma festa que irrompe ao exterior ilustram a forma descontínua e fragmentada que a mente humana opera quando rememora eventos, experimenta algo traumático ou engaja-se em atividades sociais desconfortáveis.

quero mais

o estigma da mão esquerda
quando nasci, um anjo torto, desses que vivem na sombra, disse: "vai, Carlos! ser gauche na vida". leia mais
a sonda ao redor
dessa vez nós realmente fomos longe demais. leia mais
transfiguration
num ato animalesco, o performer olivier de sagazan busca romper com o mundo físico. leia mais
5 artistas que foram até o limite pela arte
dos anos 70 até hoje, algumas das manifestações artísticas mais surpreendentes. leia mais
a fotografia mística de maïmouna guerresi
narrativas visuais que revelam a fagulha imaterial que nos une. leia mais
as videodanças de analivia cordeiro
a dança como cinema. leia mais
Download WordPress Themes
Free Download WordPress Themes
Download WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
online free course
download redmi firmware
Download Premium WordPress Themes Free
free download udemy course